Jason Derulo processado por não pagamento de royalties do hit ‘Savage Love’

Janson Derulo em estúdio de gravação
Jason Derulo no estúdio

Matthew Spatola processou Jason Derulo por não pagar royalties pela música ‘Savage Love (Laxed – Siren Beat)’, um sucesso em parceria com Jawsh 685. O processo justifica que os réus se recusam a “conceder a Matthew Spatola o crédito e os royalties devidos como co-autor” da faixa ‘Savage Love’.

O denunciante acrescenta: “Antes de trabalhar com Derulo em Savage Love, Spatola havia trabalhado com muitos artistas diferentes, como Juice WRLD, aboogiewitdahoodie, Lil Uzi Vert e Nipsey Hussle. Ele também se apresentou no The Tonight Show Starring Jimmy Fallon, Jimmy Kimmel Live e Saturday Night Live.”

O processo também aponta a Sony Music Entertainment e a Columbia Records como rés. Sendo assim, alega que os réus se recusam a “conceder a Matthew Spatola o crédito e os royalties devidos como co-autor” de Savage Love.

Spatola afirma que, em 23 de abril de 2020, ele e Derulo “colaboraram para criar a composição instrumental e a gravação do que mais tarde se tornaria Savage Love.” Esses fatos aconteceram no estúdio caseiro de Derulo em Los Angeles”. 

Porém, Derulo e Spatola voltaram ao estúdio novamente em 27 de abril de 2020 “onde completaram Savage Love “. Mas Derulo então supostamente “lançou Savage Love unilateralmente , sem fornecer nenhum crédito a Spatola pelo trabalho que criaram em conjunto”.

A denúncia afirma que “Savage Love começou sampleando uma música que ganhou fama generalizada no TikTok chamada Laxed (Siren – Beat)”.

Ele continua afirmando: “Este processo foi iniciado para corrigir esse erro e assegurar que Spatola receba o devido crédito como co-autor de Savage Love e seja compensado por suas contribuições.”

Spatola entrou com uma ação no tribunal, para que o reconheçam como co-autor e proprietário tanto da gravação quanto da composição da música “Savage Love“. Ele também reivindica o direito de co-escritor e crédito de co-produtor em relação aos direitos autorais da gravação de som e da composição de todas as versões remixadas da faixa.

Além dessas reivindicações, Spatola está solicitando royalties tanto prospectivos quanto retroativos, assim como outros valores devidos referentes à sua contribuição na gravação e composição. Ele está buscando uma porcentagem justa, a qual o tribunal determinará durante o julgamento.

Adicionalmente, Spatola está requerendo uma ordem judicial que exija uma prestação de contas completa de todas as receitas geradas pela exploração da faixa por parte dos réus. Isso inclui ganhos provenientes de acordos de licenciamento e outras fontes de renda relacionadas à música.

Nesse sentido, Spatola está em busca de reconhecimento legal de seu papel como co-autor e proprietário. Igualmente a compensação justa pelo seu trabalho na música e transparência nas receitas geradas a partir do sucesso de grande hit. O resultado desta batalha legal afetará significativamente a indústria da música e a maneira como ela protege e remunera os direitos dos artistas.

Leia mais sobre: