Como funciona a distribuição de musica nas plataforma digitais?

Uma mão segurando um celular com um app de música aberto
Uma mão segurando um celular com um app de música aberto

A distribuição de música digital é agora incrivelmente acessível, permitindo que artistas compartilhem facilmente suas músicas com um público global. No entanto, compreender todo o processo, desde o início até o fim, é fundamental para maximizar as oportunidades de atrair um público e obter retorno financeiro satisfatório.

É comum pensarmos que o envio das músicas é feito diretamente para os serviços de streaming, isso acontece com plataformas especificas como Soundcloud e MySpace, mas devido falta de um modelo de monetização, acabaram deixando um vácuo para concorrentes surgirem. 

Em meados de 2003, tivemos o lançamento da iTunes Store que logo se tornou o maior vendedor de música global, e cinco anos depois surge Spotify com o modelo streaming de música, moldando assim a indústria que conhecemos hoje.

No mercado hoje contamos com oito principais plataformas (Também chamadas de DSP: Digital Service Provider) que dominam 89,8% do mercado, são elas Spotify, Apple Music, Tencent Music, Amazon Music, YouTube Music, Net Ease, Yadex, Deezer e os outros 10,2% são outras dezenas de plataformas, números do segundo trimestre de 2022. 

Para gerenciar o seu catálogo, artistas e selos contam com uma empresa de distribuição, as gravadoras possuem seu próprio sistema de distribuição. Essa empresa ou sistema gerencia a entrega dos lançamentos para a maioria das plataformas de distribuição em apenas poucos clique e gerencia o pagamento dos royalties, tendo todas as informações centralizadas em apenas um único lugar.

Os tipos de distribuidora musical

No universo da distribuição musical, existe um cenário diversificado de empresas, cada uma desempenhando um papel fundamental no ecossistema da indústria. 

As empresas de distribuição ganharam um destaque importante na popularização do streaming, podemos dividir essas empresas em seis categorias.

  • Grandes Gravadoras: As principais gravadoras, também conhecidas como “majors,” são gigantes da indústria, como Universal Music Group, Sony Music Entertainment e Warner Music Group. Elas costumavam dominar a distribuição, mas agora também operam como distribuidoras digitais, controlando um grande catálogo de músicas.
  • Grandes Distribuidoras: Essas empresas são especializadas em distribuir música para diversas plataformas digitais, trabalhando com artistas em uma fase mais avançada da carreira. São geralmente de propriedade de uma grande gravadora, servindo de opção para um perfil de artista diferente, oferecem serviços mais completos e equipe dedicada, geralmente sendo monetizada através de um percentual fixo. Ex: INgrooves e The Orchard
  • Distribuidoras Semi-Labels: Esses serviços geralmente são uma fusão de gravadora e distribuidora, oferecendo suporte a artistas de forma mais abrangente. Eles podem oferecer financiamento, serviços de marketing e distribuição. Ex: Amuse e Awal
  • Distribuidoras Independente: Essas distribuidoras são focadas em artistas independentes e selos pequenos, através de um contrato de exclusividade. Elas permitem que artistas não vinculados a grandes gravadoras alcancem seu público e controlem seu próprio trabalho, oferecendo um serviço exclusivo por fee ou taxa fixa. Ex: Believe e Symphonic
  • Distribuidoras DIY: São serviços de distribuição onde qualquer artista pode enviar sua música diretamente para plataformas de streaming. Isso permite que artistas independentes alcancem o público global sem a necessidade de intermediários, mas com suporte e atenção limitada, o que indica que o artista não tem muitos recursos à sua disposição. Ex: ONErpm e Tune Core
  • Distribuidoras White-Label: As empresas de white-label fornecem uma solução para serviços de distribuição de música, mas operam nos bastidores. Elas permitem que outras marcas ofereçam serviços de distribuição sem a necessidade de desenvolver sua própria infraestrutura, oferecendo assim toda tecnologia para esse desenvolvimento. Ex: Fuga e SonoSuite

Essas categorias oferecem uma variedade de opções para artistas, desde os que desejam manter o controle total de sua música até os que buscam o suporte de grandes empresas. A escolha da distribuidora depende dos objetivos, recursos e alcance do artista ou selo musical.

Essas empresas desempenham um papel fundamental, e seu conhecimento é necessário para o artista e profissional da música que navegam pelo mundo da distribuição.

Do início até os royalties 

O caminho desde a concepção de uma música até a obtenção dos royalties é repleto de desafios em um cenário musical onde diariamente são lançadas inúmeras faixas. A capacidade de um artista se destacar e construir uma base de fãs sólida é essencial. Abaixo, delineamos as etapas que levam uma música a estar disponível nas plataformas digitais e, finalmente, resultam no pagamento de royalties. Vale ressaltar que o processo pode variar dependendo da distribuidora escolhida. Este guia oferece uma visão geral para um melhor entendimento de todo o processo:

  • Preparação: Antes de iniciar a distribuição, o artista ou selo musical precisa preparar suas músicas. Isso inclui a gravação das faixas, a criação de capas de álbuns ou singles, a definição de ficha técnica (como nome da música, artista, gênero) e a obtenção das licenças necessárias para distribuição.
  • Registro e Proteção: Registrar uma música em uma associação arrecadadora, gerando o registro da obra e o ISRC, é essencial para que artistas e compositores recebam os diferentes royalties de suas obras. Esse registro fornece informações detalhadas sobre e ajuda a rastrear os usos da música cobrindo outros tipos de direitos além do digital, garantindo támbem uma proteção jurídica em relação aos direitos autorais. 
  • Escolha da Distribuidora: O próximo passo é escolher a distribuidora musical que atenda às suas necessidades. Existem várias opções, desde grandes gravadoras até distribuidoras independentes e serviços de distribuição direta.
  • Upload e Metadados: Após selecionar a distribuidora, o artista faz o upload das músicas e fornece informações detalhadas, como títulos das faixas, nome do artista, compositores, produtores e ISRCs para identificação.
  • Seleção de Plataformas: O artista pode escolher as plataformas de distribuição desejadas, que podem incluir serviços de streaming como Spotify e Apple Music, lojas de música digital como iTunes, lojas físicas e até mesmo redes sociais, como Tik Tok e Instagram, usualmente artistas marcam todas as plataformas. 
  • Data de Lançamento: O artista escolhe a data de lançamento desejada. Isso pode ser crucial para criar expectativa e planejar estratégias de marketing, o recomendado período mínimo recomendado é de 2 semanas.  
  • Revisão e Aprovação: A distribuidora verifica as músicas e metadados para garantir que tudo esteja em conformidade com os padrões das plataformas de distribuição. Isso ajuda a evitar problemas técnicos ou rejeições, mantendo as informações de acordo com as políticas estabelecidas pelas plataformas. 
  • Distribuição: A distribuidora envia as músicas e metadados para as plataformas selecionadas. Cada plataforma pode ter seus próprios requisitos técnicos e processos de aprovação.
  • Disponibilidade nas Plataformas: As músicas são disponibilizadas nas plataformas na data de lançamento programada. Os ouvintes podem então acessá-las por streaming e compra.
  • Promoção e Marketing: O artista ou sua equipe de gerenciamento geralmente trabalham na promoção das músicas, criando estratégias de marketing, compartilhando nas redes sociais, enviando para playlists e promovendo shows.
  • Monitoramento e Relatórios: Após o lançamento, as distribuidoras fornecem relatórios de desempenho. Isso inclui informações sobre reproduções, playlists, vendas e outros dados relevantes.
  • Coleta de Royalties: Com base nas quantidades de reproduções e compras, receba os royalties na plataforma de distribuição escolhida após 3 meses do lançamento.
  • Planejamento Futuro: Com base no desempenho das músicas, os artistas podem ajustar suas estratégias e planos futuros de lançamento, e agora só repitir o ciclo para os novos lançamentos.

Aqui, apresentamos tudo o que você precisa saber sobre o processo de distribuição. Se surgirem dúvidas ou se tiver sugestões, não hesite em nos contatar. Desejamos muito sucesso em seus lançamentos musicais!